SP registra duas mortes por reação à vacina contra febre amarela

Duas pessoas morreram em São Paulo, capital, devido a reações pela vacina contra a febre amarela, conforme comunicado pelo o secretário municipal de saúde, Wilson Pollara.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Ambas as mortes ocorreram devido a deficiências imunológicas não detectadas durante a triagem.

Seis casos fatais foram notificados no estado: um já foi descartado e outros três ainda estão em investigação.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Vale ressaltar que é um número estatisticamente pequeno de casos e que as pessoas sem as contraindicações que listaremos a seguir devem se vacinar assim que possível:

Idosos e a vacina contra febre amarela

De acordo com o site G1, uma das mortes foi da professora aposentada Mônica Oelkers, de 76 anos.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Hoje, a recomendação é que a vacina seja tomada por pessoas até 60 anos. “Pessoas com mais de 60 anos podem receber a vacina da febre amarela, desde que não estejam fazendo uso de medicamentos imunossupressores ou sejam portadoras de doenças crônicas descompensadas. Sugerimos sempre uma avaliação médica prévia, mas a prescrição para a vacina não é necessária”, ressalta Ana Karolina Barreto B. Marinho, coordenadora do Departamento Científico de Imunização da Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (ASBAI).

Além disso, outros grupos devem tomar cuidados, como:

  • Crianças entre 9 meses e 2 anos de idade
  • Portadores do vírus HIV com células CD4 em contagem adequadas
  • Pessoas que terminaram o tratamento de quimioterapia e com doenças hematológicas após avaliação médica.

Quem não deve tomar a vacina contra febre amarela?

Os grupos contraindicados a tomar a vacina contra febre amarela são:

  • Crianças menores de 9 meses de idade
  • Pacientes com imunodepressão de qualquer natureza
  • Pacientes com neoplasia (câncer)
  • Pacientes infectados pelo HIV
  • Pacientes em tratamento com drogas imunossupressoras (corticosteroides, quimioterapia, radioterapia, imunomoduladores)
  • Pacientes submetidos a transplante de órgãos
  • Gestantes, independente do estado vacinal.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Esses cuidados são importantes por que a vacina é feita com vírus atenuados, que podem provocar a doença em pessoas com um sistema imunológico mais frágil.

Secretaria da Saúde confirma 3ª morte por febre amarela na Grande São Paulo

A Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo confirmou no sábado (06) a morte de mais uma pessoa contaminada pelo vírus da febre amarela. Com o registro, subiu para três o número de casos contabilizados na Grande São Paulo.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

O caso divulgado mais recente é o de um homem, de 69 anos, morador de Guarulhos. Ele morreu em 25 de dezembro, após ter sido infectado em sua chácara, em Nazaré Paulista, município localizado próximo ao limite com a cidade de Mairiporã. De acordo com a Secretaria, as três pessoas que vieram a óbito estiveram em Mairiporã, a 45 quilômetros da capital paulista, todos durante as festa de fim de ano.

Em nota, a Secretaria de Saúde de Guarulhos afirmou que o resultado da necropsia confirmando a causa da morte foi divulgado neste final de semana, mas a família foi informada sobre os exames solicitados (de leptospirose e febre amarela), no último dia 5.

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

Desde os primeiros casos de mortes de macacos infectados na Serra da Cantareira, a Secretaria Municipal de Saúde vem mantendo ações diversas de imunização. Confira aqui quais as atividades praticadas pelo governo e onde é possível se vacinar!

Segundo boletim epidemiológico da Secretaria de Saúde do Estado divulgado no dia 2 de janeiro, entre o período de janeiro de 2017 até a segunda quinzena de dezembro foram registrados 151 casos suspeitos de febre amarela, sendo confirmados 53 casos (35,1%). Entre esses, 24 eram autóctones (vírus contraído na região onde a pessoa vive) e 29 importados (contraídos fora do município onde a vítima mora).

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉

NÃO PARE AGORA… TEM MAIS DEPOIS DA PUBLICIDADE 😉